Histórico

As atividades de pesquisa e ensino na área de química, desenvolvidas na Universidade Federal do Ceará (UFC), foram iniciadas em 1954 na Escola de Agronomia e na Faculdade de Farmácia. Posteriormente, em 1959, foi criado o Instituto de Química e Tecnologia com o objetivo de concentrar as atividades de ensino e pesquisa e agrupar os profissionais desta área.  Em 1973, através do Decreto 79.970, de 21 de março do mesmo ano, seguindo a institucionalização do Ciclo Básico, ocorreu a implantação da estrutura de Departamentos Acadêmicos na UFC, e o Instituto de Química deu origem aos Departamentos de Química Orgânica e Inorgânica, de Química Analítica e Físico-Química e de Bioquímica. Ainda nesse ano foi criado o Curso de Especialização em Química Orgânica, devidamente reconhecido pela CAPES, contribuindo gradualmente para a implementação e consolidação da infra-estrutura indispensável às atividades de pesquisa e de pós-graduação Stricto sensu.

Em 1976 e 1977 foram implantados, respectivamente, os Cursos de Pós-Graduação em Química Orgânica e em Química Inorgânica, em nível de Mestrado, os quais foram credenciados pelo Conselho Federal de Educação, conforme pareceres Nº 1475 de 06.11.77 e Nº 103 de 01.04.78.

O sucesso das atividades desenvolvidas nos dois Cursos de Pós-Graduação e a pressão da demanda qualificada e reprimida no Estado contribuíram para a implantação do Curso de Doutorado em Química Orgânica (criado em 1991, através da resolução Nº 08/CONSUNI, de 02.10.89) e do Curso de Doutorado em Química Inorgânica (aprovado na UFC em julho de 1999 e no CTC da CAPES em 14 de dezembro de 1999).

            Seguindo a tendência nacional da Pós-graduação, nas últimas avaliações da CAPES, o comitê de área sugeriu para ambos os Programas de Pós-graduação do Departamento de Química Orgânica e Inorgânica (PPGQO e PPGQI) a fusão dos mesmos para criação do Programa de Pós-graduação em Química (PPGQ), como estratégia para a consolidação da pós-graduação em Química na UFC. Com este intuito, em 2007 foram criadas as normas do novo Programa, as quais foram aprovadas pelo corpo docente em reunião conjunta realizada em junho de 2007.